sexta-feira, 30 de março de 2012

Descubrindo a mente

Continuando com nossos Estudos Inbound, hoje conversamos sobre a MENTE.

Como vimos no artigo sobre Respiração, o bebê assim que nasce começa a respirar.

E assim que nasce já começa a ter atividade mental! Na realidade o bebê já "pensa" desde muito pequenino! Por isso é importante que a mamãe converse com o feto, estabeleça um laço forte de carinho. Afinal ele já sente tudo...

Qual é a função da mente? Para que serve?


A mente sempre nos deixa em ansiedade, essa é a função dela! Nos perturbar, nos trazer dúvida e tudo isso que nós já sabemos...

Srila Bhakti Pramode Srila Puri Maharaj (mestre de yoga indiano), apresentou uma definição interessante em seu livro, A arte do Sadhana: "A mente é meio pelo qual se percebe as coisas". Em outras palavras, ela tem a função de aceitar ou rejeitar, é o segundo portão (o primeiro são os sentidos e o terceiro é a inteligência), causando o DESEJO.

Por exemplo, ao ver uma obra de arte talvez muitas pessoas pensem: "hmmm, gostei" ou "não gostei por tal motivo". No entanto a arte é muito superior a essa impressão simplista. Porque o pintor usou essa técnica? O que queria passar? Qual o contexto da obra? Essas perguntas ajudam a revelar o significado real.

Então a mente sempre se baseia na DUALIDADE:
- Gosto ou não gosto
- Frio ou calor
- Fico ou saio
- Tal pessoa me tratou bem ou me tratou mal
 e etc.

 O Vedanta-sãra (62.68) conclui:
"A mente é a função do ser interno relativa a decisão (sankalpa) e a indecisão (vikalpa). Junto com os sentidos cognitivos (jñãnendriya), conforme a cobertura mental (mano- maya-kosa)"

O Bhagavad Gita (cap. 6 versos 5 e 6) acrescenta que a mente pode ser amiga ou inimiga:

"Uma pessoa deve se elevar com sua própria mente, e não se degradar. A mente é o amigo do ser condicionado, e seu inimigo também. Para aquele que conquistou a mente, ela é o melhor amigo; mas para a pessoa que fracassou em fazê-lo, sua própria mente será seu pior inimigo."

E para concluir, explica como manter a mente controlada:
11-12. Para praticar yoga, a pessoa deve ir a um lugar isolado, colocar grama kusha no chão e então cobri-la com uma pele de veado e um tecido macio. O assento não deve ser nem muito alto nem muito baixo e deve estar situado num lugar sagrado. O yogi deve então se sentar muito firmemente e praticar yoga, com o controle da mente e dos sentidos, com a purificação do coração e com a mente fixa em um ponto.


13-14. A pessoa deve manter seu corpo, pescoço e cabeça eretos numa linha reta e olhar fixamente para a ponta do nariz. Desse modo, com uma mente dominada, não agitada, desprovida de medo, completamente livre da vida sexual, a pessoa deve meditar em Mim dentro do coração e
fazer de Mim a meta última da vida. Meditação: Importante notar que Krishna recomenda meditar Nele dentro do coração, e não em uma luz ou numa energia impessoal.

15. Assim, com a prática do controle do corpo, mente e atividades, o místico praticante da transcendência alcança o reino de Deus (ou a morada de Krishna) pela cessação da existência material.

16. Não há possibilidade de uma pessoa se tornar um yogi, ó Arjuna, se ela come em demasia ou se come muito pouco, se dorme em demasia ou não dorme o suficiente.

17. Aquele que é moderado em seus hábitos de alimentação, descanso, trabalho e recreação pode mitigar todas as dores materiais com a prática do sistema de yoga. Meditação: É um fato que as práticas de yoga mantém a pessoa em boa saúde tanto mental quanto física.


18. Quando o yogi, pela prática de yoga, disciplina suas atividades mentais e se situa na transcendência, desprovido de todos os desejos materiais, diz-se que ele alcançou o yoga.

19. Assim como uma vela não tremula num lugar sem vento, também o transcendentalista, cuja mente está controlada, permanece sempre fixo em sua meditação no Eu transcendental.



O processo para controlar a mente é fazer YOGA.

Conheça o YOGA INBOUND, faça uma aula experimental gratuita: yogainboundsp@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário